SAFs e criação racional de abelhas

O consórcio entre a criação racional de abelhas, sem ferrão (meliponicultura) ou de abelhas com ferrão, no caso as abelhas africanizadas (apicultura) e os Sistemas Agroflorestais propicia uma alternativa de renda ao agricultor, a partir da comercialização de seus produtos (mel, pólen, própolis, geleia real, cera e matrizes de colônias), pode contribuir para melhorar a nutrição e a saúde das famílias, pelo consumo de mel, pólen, geleia real e própolis, aspecto ainda pouco considerado neste tipo de atividade. Tais produtos embora apresentem substâncias com inúmeras atividades funcionais, ainda são pouco utilizados pela população em geral, em especial, aquela de baixa renda; o mel e a própolis são os produtos mais conhecidos, embora seu consumo seja ainda atrelado a aspectos sazonais e terapêuticos. Além desse impacto positivo na geração de renda e na melhoria da saúde e nutrição das famílias, a integração da meliponicultura e apicultura com sistemas de produção agrícolas biodiversos poderá melhorar os índices de produtividade dos cultivos que se beneficiam ou dependem do serviço de polinização das abelhas para a produção de frutos e sementes. Além dos benefícios para as culturas, o serviço ambiental de polinização é fundamental para a manutenção dos ambientes naturais.

 

Para conhecer mais sobre o “Sistema agroflorestal planejado para integração com criação racional de abelhas”, baixe gratuitamente a publicação em:

https://bit.ly/3Xkzwu8

);