Sementes Criolas

Populações indígenas e familiares, durante muitos anos, conservaram, selecionaram, melhoraram e trocaram sementes entre si. Essas sementes, denominadas crioulas, constituem um verdadeiro patrimônio, pois deram origem a diversas variedades utilizadas na agricultura moderna e adaptadas a diferentes condições e locais. São consideradas patrimônio por legítima definição: conjunto de todos os bens materiais ou imateriais que, pelo seu valor próprio, devem ser considerados de interesse relevante para a permanência e a identidade da cultura de um povo. A agricultura tradicional, antes da mecanização e das grandes empresas agrícolas era baseada somente no conhecimento do agricultor sobre a natureza. Era preciso saber sobre as estações do ano, os animais, a mata e as sementes.


São consideradas sementes crioulas – ou sementes tradicionais – as sementes de variedades locais, que foram utilizadas e guardadas por agricultores, durante um longo período de tempo. São caracterizadas por serem adaptadas às condições ambientais do local onde surgiram.


Semente Crioula, sementes Tradicionais, Sementes de Litro ou Sementes da Paixão, seja qual o for nome, são aquelas sementes que há anos e anos são mantidas pelos agricultores/as, que na base da troca feita na comunidade ou em outras festas, vão aumentando a diversidade de plantas, mudas e sementes em suas roças. É uma semente sadia, sem uso de produtos químicos e principalmente venenos. Estas sementes desenvolvem uma forte resistência ao ataque de insetos e incidência de doenças, pois são adaptadas às condições locais de clima e solo da região quando produzidas em sistemas diversificados e adotando as práticas e princípios da Agroecologia.


Mesmo sendo geralmente menos produtivas que as cultivares comerciais, nos últimos anos as sementes crioulas têm se tornado importantes fontes de variabilidade genética, na busca de genes de tolerância ou resistência a fatores bióticos e abióticos de interesse para agricultura moderna.

);