Movimento Diálogos na Preservação da ARIE Granja do Ipê: fortalecimento da consciência do território com a comunidade

Membros:

  O Movimento foi uma criação espontânea da comunidade, composta por diferentes atores representativos de sua composição humana de colaboradores e associações e instituições, dentre elas a Associação dos Produtores da Agrovila I, a Universidade da Paz – Unipaz com a Fundação Cidade da Paz, o Iphan, a Secretaria de Agricultura – SEAGRI, Ibram, Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, membros da Emater, Professores da Escola do Caub e alunos, do Riacho Fundo II, representantes de parlamentares distritais e federais, ICMBio e Polícia Militar, dentre outros. 

 

História:

  A partir de 1995 as instituições, listadas acima, começaram um trabalho em defesa da preservação da nascente do Córrego Capão Preto. A partir de 2012, essa parceria transformou-se no coletivo “Movimento Diálogos da ARIE Granja do Ipê”, tendo a UNIPAZ, na pessoa de Regina Fittipaldi, Pró-reitora de Meio Ambiente, como uma das lideranças da comunidade. O Movimento passou a organizar-se com encontros quinzenais, inicialmente integrando a Associação dos Produtores da Agrovila I e a própria Unipaz.

 

Um dos frutos dessa mobilização foi a publicação, em agosto de 2013, da Instrução Normativa 164, no Diário Oficial do DF. A norma aprovou o Plano de Manejo da ARIE e estabeleceu o Zoneamento Ambiental composto por 6 zonas de manejo a saber:

*zona de preservação;

*zona de recuperação ambiental;

* zona de conservação e uso restrito;

*zona de conservação e uso sustentável;

*zona de uso especial e zona de amortecimento.

 

O grupo Diálogos da Granja do Ipê atua em defesa do zoneamento definido, com ações de vigilância em relação a ocupação do território da ARIE, ações de educação ambiental, incentivo à transição agroecológica, entre outras. As ações de incentivo à transição agroecológica acontecem especificamente na zona de amortecimento da ARIE, onde estão localizados o CAUB I e a maioria das chácaras com produção agropecuária. Conforme a Instrução Normativa 164, a Zona de Amortecimento tem como objetivo: “controlar o uso do solo, no entorno da ARIE da Granja do Ipê, a fim de propiciar a viabilidade ecológica da unidade de conservação” (IN 164/2013 – IBRAM). 

 

CED Agrourbano:

Em 2014,  o CED Agrourbano, começou a desenvolver experimentos de tecnologias sustentáveis no quintal da escola com a coordenação do professor Leonardo Hatano e direção da unidade escolar, os experimentos foram reunidos e o espaço foi nomeado “Exposição Permanente de Tecnologias Sustentáveis de Baixo Custo”, onde foi possível construir uma vitrine ecológica composta por: captação de água da chuva, tanque de peixes, aquaponia, pergolado, horta agroecológica, sistema agroflorestal, sala ecológica de superadobe, composteira, estação de coleta de resíduos sólidos, farmácia viva, jardim de recicláveis, tanque de águas cinzas, minhocário e desidratador de frutas. E em desenvolvimento temos: captação de água da chuva para utilização na limpeza e irrigação, filtro de águas cinzas com reuso da água dos bebedouros para irrigação das plantas e tratamento do esgoto com biodigestores. Com a realização de todas estas tecnologias, temos como objetivo: incentivar os produtores rurais do CAUB a utilizarem tecnologias sustentáveis e reduzir o impacto das atividades agrícolas convencionais na ARIE da Granja do Ipê.  

  

A vitrine de tecnologias sustentáveis transformou o quintal da escola em um espaço para a aprendizagem do cuidado com a ARIE da Granja do Ipê, provocando reflexões sobre as consequências das práticas agrícolas convencionais. O local propicia aos estudantes um ambiente de experimentação e ajuda na divulgação do conceito da agroecologia para a população do CAUB I e vizinhança.  

 

  A experiência do Movimento Diálogos a partir da proteção e preservação da ARIE Granja do Ipê gerou a Instrução Normativa 164 que consolidou um Zoneamento Ambiental. A riqueza dos atores expressa que a construção do conhecimento agroecológico está em processo de conscientização e apropriação pela comunidade e que o afeto, a educação e a mobilização são as bases dialéticas para gerar transformações efetivas. 

 

 

Área de Relevante Interesse Ecológico Granja do Ipê:

Unidade de Conservação formada por 1.143,82 hectares de área protegida pelo Decreto nº 19.431 de 15 de julho de 1998. Localizada a sudoeste do quadrilátero DF a ARIE tem papel de extrema importância para a Bacia hidrográfica do Paranoá, pois é na Granja do Ipê que estão as nascentes dos córregos Capão Preto e Ipê. Juntos, eles formam o Coqueiros, único afluente com qualidade hídrica do Córrego Riacho Fundo, que é o braço sul do Lago Paranoá. Possui cerrado preservado, rica em mata ripária, campos de murundu, campos rupestres e campo sujo, bem como espécies endêmicas de fauna.  

 

A ARIE Granja do Ipê também sofre pressão com as tentativas de parcelamento irregular, com grilagem de terras, com impactos gerados pelas demandas da expansão urbana em Brasília e instalações de novos assentamentos, com ocupações tanto irregulares como por iniciativas governamentais e com práticas agrícolas inadequadas.  

- Guia do Visitante da ARIE Granja do Ipê:

https://www.ibram.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/Guia-do-Visitante-da-ARIE-Granja-do-Ipe-WEB-min.pdf

 

- O ouro da Granja : um guia para os tesouros da ARIE da Granja do Ipê / Organização: Equipe de Educação Ambiental do Instituto Brasília Ambiental – IBRAM; Coleção Comunidades de Conservação – ARIE Granja do Ipê. – Riacho Fundo II : IBRAM, 2017. Disponível em: https://www.ibram.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/O-Ouro-da-Granja_2017-09-25_web-min.pdf

 

-  Um passarinho me contou: histórias para preservar / ilustrações de alunos das escolas: Escola Classe Ipê e Centro Educacional Agrourbano Ipê Riacho Fundo (CAUB I); organização Equipe de Educação Ambiental do Instituto Brasília Ambiental - IBRAM; coleção Comunidades de Conservação – ARIE Granja do Ipê. – Riacho Fundo II Brasília-DF : IBRAM, 2017. Disponível em: https://www.ibram.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/um-passarinho-me-contou-min.pdf

 

-  Virada agroecológica / Organização: Equipe de Educação Ambiental do Instituto Brasília Ambiental – IBRAM; Coleção Comunidades de Conservação – ARIE Granja do Ipê. – Riacho Fundo II : IBRAM, 2017. Disponível em: https://www.ibram.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/Virada-Ecologica.pdf

 

-  Manual do Biodetetive / Textos elaborados pelos biodetetives (alunos e professores) do CEF CAUB I ; organização: Educação Ambiental do Instituto Brasília Ambiental (IBRAM) ; coleção Comunidade de conservação – ARIE Granja do Ipê. – Riacho Fundo II : IBRAM, 2017. Disponível em: https://www.ibram.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/03/Manual-do-biodetetive-min.pdf

  

- Moradores se unem para ajudar a preservar a Granja do Ipê, no Riacho Fundo 2

https://globoplay.globo.com/v/6180368/