Planos de Ação

Os Planos de Ação Nacional para a Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção ou do Patrimônio Espeleológico (PAN) são políticas públicas, pactuadas com a sociedade, que identificam e orientam as ações prioritárias para combater as ameaças que põem em risco populações de espécies e os ambientes naturais e assim protegê-los. Conheça alguns PANs no Cerrado.

As principais ameaças às aves do Cerrado e Pantanal, diagnosticadas, foram causadas, principalmente, pela perda de habitat, provocadas tanto pelo agronegócio como pela expansão urbana, instalações de empreendimentos de infraestrutura, caça e o tráfico de algumas espécies.

 

Mais informações em:
https://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/docs-pan/pan-aves-do-cerrado-e-pantanal/1-ciclo/pan-aves-do-cerrado-pantanal-sumario.pdf

 

Esse ano foi feita a monitoria de implementação do PAN Grandes Felinos, e 54% das ações propostas estão em andamento, inclusive apresentando produtos concluídos. Destaca-se a criação de Unidades de Conservação privada (RPPNs), manuais, relatórios, divulgações na mídia para a sensibilização e conservação das espécies de onças e publicações científicas. O ICMBio-CENAP coordena várias ações previstas no PAN e articula parcerias para execução de sua execução Por exemplo, a realização de dois projetos inovadores de reabilitação, treinamento e recolocação na natureza de quatro filhotes de onça-pintada, no Pantanal e na Amazônia, experiência que foi bem sucedida e pode servir como base para futuras iniciativas.

O Plano de Ação Nacional para a Conservação da Onça-parda tem como objetivo reduzir a vulnerabilidade da onça-parda, ampliando a proteção dos habitats adequados, o conhecimento aplicado a sua conservação e reduzindo conflitos com atividades antrópicas, especialmente nos biomas Mata Atlântica, Cerrado, Pantanal e Caatinga.O PAN Onça Parda foi encerrado em 2016, com 31% de suas ações concluídas, e 20% ainda em execução. Com o encerramento deste PAN, a espécie Puma concolor passou a ser contemplada no Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Grandes Felinos – PAN Grandes Felinos, coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros – CENAP, publicado em junho de 2018.

 

O pato-mergulhão depende de águas limpas e transparentes para viver. Com sua visão acurada, pesca presas vivas (peixes e insetos aquáticos). Por estas particularidades, essa espécie é considerada um bioindicador-ambiental.

O pato-mergulhão (Mergus octosetaceus) é uma ave que mergulha para capturar a sua comida. Por isso ele precisa de águas bem limpinhas e transparentes para sobreviver. O problema é que a poluição e tantas mudanças nos rios causadas pelos humanos quase fizeram esse bichinho desaparecer! Hoje só restam menos de 250. O Instituto Chico Mendes e seus parceiros têm trabalhado muito, sempre com a esperança que o pato-mergulhão possa habitar as nossas águas outra vez. Todos devemos cuidar de nossas águas para ajudar o pato-mergulhão!

 

Mais informações em:

https://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/docs-pan/pan-pato-mergulhao/2-ciclo/pan_pato_mergulhao_sumario.pdf

 

O Plano de Ação Nacional para Conservação do Morceguinho-do-cerrado, cuja coordenação coube ao Departamento de Zoologia da Universidade de Brasília, foi publicado em 2010 e teve como objetivo aumentar a viabilidade populacional da Lonchophylla dekeyseri em cinco anos, evitando a sua extinção.O PAN Morceguinho-do-cerrado foi encerrado em setembro de 2015. Além do PAN Morceguinho a espécie Lonchophylla dekeyseri está contemplada no PAN Cavernas.

Instituições envolvidas:Coordenação-Geral de Autorização de Uso e Gestão de Fauna e Recursos Pesqueiros – CGFAP, Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas – CECAV, Diretoria de Vigilância Ambiental – Dival, Universidade de Brasília – UnB e Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.

Série Espécies Ameaçadas n° 26

BIOMA:

Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal.

 

Mais informações:

https://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/docs-pan/pan-morceguinho/1-ciclo/pan-morceguinho-sumario.pdf

 

O Plano de Ação Nacional para a Conservação do Lobo-guará teve como objetivo reverter o declínio populacional da espécie em sua área de distribuição, reduzindo a categoria de ameaça.O PAN Lobo-guará foi encerrado em 2016, com 68% de suas ações concluídas, e 16% ainda em execução. Com o encerramento deste PAN, a espécie Chrysocyon brachyurus passou a ser contemplada no Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Canídeos Silvestres – PAN Canídeos, coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros – CENAP, publicado em julho de 2018.

 

Mais informações em:
https://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/docs-pan/pan-lobo-guara/1-ciclo/pan-lobo-guara-sumario.pdf