Expansão da Estação Ecológica de Fechos

A Estação Ecológica de Fechos está situada no Município de Nova Lima, na encosta nordeste da Serra da Moeda, porção sul da Cadeia do Espinhaço. Criada em julho de 1994, através do Decreto 36.073, ocupa uma área de 602ha. As cabeceiras do córrego Fechos encontram-se em meio à vegetação florestal e possui suas recargas aquíferas nos campo ferruginoso e cerrados das altitudes mais elevadas da região, as quais encontram-se fora dos limites da Unidade de Conservação (UC).


Fechos abriga espécies raras e em risco de extinção, como o primata sauá, o lobo-guará, o surucuá, o porco-cateto, o macuco e o inhambu, sendo o entorno utilizado por esses animais e ainda por outras espécies relevantes, próprias dos ambientes campestres, como a perereca Phyllomedusa ayeaye e o cactos Arthrocereus glaziouii.


Gerenciada pela COPASA e pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), Fechos abriga águas classificadas como de Classe Especial pelo IGAM (Instituto Mineiro de Preservação das Águas), as quais abastecem moradores de Nova Lima e cerca de 300 mil moradores da região Sul de Belo Horizonte.

Nos últimos anos, a crescente especulação imobiliária, o lançamento de esgotos e atividades minerárias tem exercido forte pressão sobre esta UC. Atualmente, a pretendida expansão de minas de ferro pelo Complexo Vargem Grande, da empresa Vale, representa a principal ameaça à preservação de Fechos.

Apesar de cercada por áreas urbanas e mineração ao Norte e Oeste, todo o entorno leste/sudeste da Estação Ecológica dos Fechos possui elevada relevância ambiental, pois além da importância na produção de água, funciona como corredor ecológico permitindo o deslocamento da fauna e promovendo a conectividade entre importantes remanescentes de Mata Atlântica e de Cerrado na região, incluindo o Parque Estadual do Rola Moça, o Parque Estadual do Itacolomi, e a Floresta Estadual do Uaimií, além de diversas RPPN’s, todos inseridos na Área de Proteção Ambiental – APA Sul da Região Metropolitana de Belo Horizonte.


Reivindicamos assim a preservação do entorno leste/sudeste desta UC através da aprovação do Projeto de Lei que propõe a expansão da Estação Ecológica de Fechos para garantir a preservação de ambientes de alta relevância e que contribuem para a produção de águas de excelente qualidade. Para conseguirmos que os deputados estaduais de Minas Gerais aprovem o Projeto de Lei 96/2019 é fundamental que haja pressão popular reivindicando a preservação da Estação Ecológica. Por isso, acreditamos que ao inserir nosso pleito nas nossas redes de comunicação, divulgando a petição em prol de Fechos, daremos maior visibilidade à nossa causa, aumentando as chances de termos o PL aprovado no plenário da Assembleia Legislativa.

 

Assine: https://www.institutocresce.org.br/movimentofechoseucuido/

Por que a Estação Ecológica de Fechos é importante?

Cercada pelas minas de Capão Xavier, Mar Azul, Abóboras e Tamanduá, a Estação Ecológica de Fechos possui hoje 602 hectares e foi criada com a finalidade de proteger a Bacia do Ribeirão dos Fechos, além de remanescentes de Mata Atlântica e áreas de campos rupestres, quartzíticos e ferruginosos. Em sua área estão 14 nascentes do manancial de mesmo nome, que atende aos municípios de Nova Lima e Belo Horizonte. A área abriga também seis espécies consideradas em extinção: chibante, mutum-do-sudeste, capoeira, macuco, pavó e jacu-açu.

Belo Horizonte é um município da unidade federativa de Minas Gerais. Seu território é composto 28% pelo bioma Cerrado e 72% pelo bioma Mata Atlântica. 

);