Ixobrychus exilis (Gmelin, 1789)

Nome(s) popular(es)

Socoí Vermelho, Garça Vermelha, Socoí e Socó Mirim.

História Natural

Ave aquática típica de ambientes de água doce ou salobra, não é encontrada com facilidade devido a seu tamanho pequeno e baixa abundância, mas pode ser localmente abundante. Habita corpos d’água com densa vegetação aquática, tanto na superfície quanto nas margens, como lagos, brejos e pântanos. No Cerrado, pode ser visto em veredas e campos alagados. Se alimenta principalmente de pequenos peixes, além de insetos (gafanhotos e libélulas), moluscos, e eventualmente ovos ou filhotes de outras aves pequenas. Se locomove com agilidade em meio à vegetação aquática, utilizando seus longos dedos para se fixar nos juncos e capins enquanto aguarda uma presa passar dentro de seu alcance. Pode ser predado peço Cauré.O macho constrói o ninho com gravetos a certa altura entre a vegetação aquática, e tanto ele quanto a fêmea incubam os ovos e cuidam dos filhotes.

Descrição

Mede entre 28 e 35 cm de comprimento. É um dos menores membros da sua família (Ardeidae). De cor predominantemente castanho avermelhado, principalmente nas laterais do pescoço, possui garganta branca e região ventral do pescoço e peito rajada de branco e canela, com barriga branca. O topo da cabeça, das costas e das asas é escuro, principalmente nos machos. Possui pescoço comprido e delgado, com patas e bico amarelos.

Distribuição

Possui distribuição ampla porém dispersa pelas Américas. Ocorre durante a reprodução em boa parte do leste dos Estados Unidos. Está presente nas costas leste e oeste do México, ilhas caribenhas e América Central. Na América do Sul se distribui em regiões de todos os países, exceto o Chile e Uruguai, se estendendo das Guianas, Suriname e Venezuela até o nordeste da Argentina. No Brasil, pode ser visto na maioria dos estados, exceto AC e RO, porém suas principais áreas de ocorrência parecem ser na foz do rio Amazonas (do AP, PA e MA até AM), na região do rio Araguaia (GO, MT e TO) e na região costeira (PE até SC).

Conservação

Pouco preocupante: não é considerado ameaçado (ICMBio e IUCN), e suas populações parecem estar estáveis (IUCN).

Referências

BirdLife International 2016. Ixobrychus exilis. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22697314A93607413. http://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2016-3.RLTS.T22697314A93607413.en. Downloaded on 18 November 2019.

 

Gwynne, J. A., Ridgely, R. S., Argel, M., & Tudor, G. (2010). Guia Aves do Brasil: Pantanal e Cerrado. São Paulo: Horizonte.

 

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2018. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio. 4162 p.

 

Least Bittern (Ixobrychus exilis), In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. retrieved from Neotropical Birds Online: https://neotropical.birds.cornell.edu/Species-Account/nb/species/leabit

 

Martínez-Vilalta, A., Motis, A. & Kirwan, G.M. (2019). Least Bittern (Ixobrychus exilis). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. (retrieved from https://www.hbw.com/node/52721 on 18 November 2019).

 

Seijas, A. E. Feeding of the Bat Falcon (Falco rufigularis) in an Urban Environment. The Journal of Raptor Research 30(1): 33-35, 1996.

 

Sick, H. (1997). Ornitologıa brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

 

Silva, J. M. C. da (1995). Birds of the cerrado region, South America. Steenstrupia, 21(1), 69-92.

 

Wikiaves. Socoí-vermelho. 2018. Disponível em: <https://www.wikiaves.com.br/wiki/socoi-vermelho> Acesso em: 18 nov. 2019.


Wiley, J. W. Green Heron (Butorides virescens) predation at Village Weaver (Ploceus cucullatus) nests. El Pitirre 14(3): 130-133, 2001.

);