Gênero Alouatta

Os indivíduos pertencentes ao gênero Alouatta são popularmente conhecidos por alguns nomes, como: bugio, guariba, macaco-uivador e ainda barbado. É característica do gênero a emissão de uma vocalização grave, principalmente durante o período da manhã. As vocalizações podem ser utilizadas para marcar território, atrair fêmeas e indicar alertas de perigo. Tal evento só é possível por conta do osso hióide, localizado entre a faringe e a base da língua, sendo o responsável por reforçar o ar produzido pelas cordas vocais e fazer o som produzido ser audível a longas distâncias.

Esse gênero está presente em diversos biomas, apresentando uma vasta distribuição na região neotropical. São encontrados representantes desde a América do Sul até a América Central. Apesar de sua vasta distribuição, há uma certa dificuldade na comunidade científica em chegar a algum consenso sobre o emprego de nomes corretos, e no reconhecimento de espécies ou subespécies. Muito disso se deve a uma falta de informações sobre a distribuição geográfica de grupos específicos, e a falta de informações gerais sobre as subespécies.

Assim, há uma certa discordância sobre a quantidade de espécies que, de fato, compõem o gênero. As classificações mais atuais do gênero são de Groves (2005) e Gregorin (2006). De acordo com o primeiro, há dez espécies para o gênero, sendo que Alouatta guariba e A. coibensis contam com duas subespécies, e A. seniculus conta com três subespécies. Já, para Gregorin, há dez espécies bem definidas, mas algumas apresentam nomenclaturas distintas daquela definida por Groves. Considerando essas informações, no bioma Cerrado, é possível encontrar quatro espécies distintas.

Gregorin, R. (2006). Taxonomia e variação geográfica das espécies do gênero Alouatta Lacépède (Primates, Atelidae) no Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 23(1), 64-144. https://doi.org/10.1590/S0101-81752006000100005.

 

Groves, C. P. (2005). Order Primates. In D. E. Wilson & D. M. Reeder (Eds.), Mammal species of the world (3 ed., Vol. 1, pp. 110-184). Baltimore: Johns Hopkins University Press.