Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais

“Esses grupos sociais, em sua maioria, estão ligados a um território onde desencadeiam suas lutas e constroem suas identidades. A relação com o território está intrinsecamente ligada à construção das identidades dos sujeitos. O território é, assim, um elemento preponderante na construção das identidades, sendo a base das práticas sociais, das representações e das significações.
Para muitos povos indígenas o território é um lugar sagrado e para os quilombolas é o reconhecimento pelos seus direitos ancestrais. Para Schmitt, Turatti e Carvalho (2002, p. 5), é neste contexto que esses grupos “[…] constroem sua relação com a terra, tornando-a um território impregnado de significações relacionadas à resistência cultural. Não é qualquer terra, mas a terra na qual mantiveram alguma autonomia cultural, social e, consequentemente, a auto-estima”.
De acordo com Haesbaert (2005, p. 6774), o território nasce com uma dupla conotação, material e simbólica, pois etimologicamente aparece tão próximo de terra-territorium quanto de terreo-territor (terror, aterrorizar), tem a ver com “dominação” (jurídico-político-econômico) da terra e com a inspiração do terror e do medo – especialmente para aqueles que ficam alijados da terra e no “territorium” são impedidos de entrar.”

Fonte: Silva, Regina; Sato, Michèle. Territórios e identidades: mapeamento dos grupos sociais do Estado de Mato Grosso. Ambiente & Sociedade, Campinas, v. XIII, n. 2, p. 261-281, jul.-dez. 2010

Conheça as pessoas que fazem parte do Cerrado!

Clique nas pétalas para conhecer sobre cada um dos grupos étnicos que aqui estão presente.

Apanhadoras de Flores Sempre-Viva
Rezadeiras/Benzedeiras
Gerazeiros
Povos Indígenas
Pescadores
Quilombolas
Vazanteiros
Quebradeiras de coco

Publicado por admin

Cerratense de corpo e alma, trabalho na Área Educação Ambiental e Ecologia Humana na Faculdade de Educação da Universidade de Brasília.