Amazonetta brasiliensis (Gmelin, 1789)

Vocalização

Nome(s) popular(es)

Pé Vermelho, Picassinha (RS), Marreca Ananai, Ananaí, Asa de Seda, Paturi (PE e BA).

História Natural

Ave aquática comum em lagoas e brejos de todos os biomas brasileiros. No Cerrado, pode ocorrer em campos alagados. É mais ativa durante o dia, passando a maior parte do seu tempo buscando alimento dentro d’água ou nas margens. Pode se manter junto de outros patos (família Anatidae), como o Irerê. Se alimenta através de filtração, consumindo principalmente plantas aquáticas, frutinhas, sementes e raízes, além de crustáceos, insetos e vermes. Seus filhotes podem ser predados por animais maiores, como o Carcará, e seus ovos podem ser comidos pelo Teiú. Faz seus ninhos entre touceiras de capim próximo a um corpo d’água, pondo de 6 a 10 ovos esbranquiçados.

Descrição

Mede entre 35 e 40 cm. Sua coloração geral é parda acinzentada, mais claro na barriga e na região posterior da cabeça (área das “bochechas”), mais castanho no peito, marrom na face e no topo da cabeça,e mais escuro no dorso. Possui as patas vermelhas, e as penas das asas refletem tons vibrantes de azul e verde, embora quando fechadas isso não seja visível. O macho possui o bico avermelhado, enquanto a fêmea o tem preto.

Distribuição

Ocorre em todo Brasil, embora pareça ser menos frequente ao norte do rio Amazonas. Sua distribuição se estende do sul do AP ao nordeste da Argentina, incluindo Uruguai, Paraguai e o leste da Bolívia, assim como porções isoladas de ocorrência no norte de RR e Guiana, e na Venezuela e Colômbia.

Conservação

Pouco preocupante: é considerado não ameaçado (ICMBio e IUCN), embora suas populações mostram sinais de declínio (IUCN).

Referências

BirdLife International 2018. Amazonetta brasiliensis. The IUCN Red List of Threatened Species 2018: e.T22680115A130025891. http://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2018-2.RLTS.T22680115A130025891.en. Downloaded on 01 October 2019.


Brazilian Teal (Amazonetta brasiliensis), In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. retrieved from Neotropical Birds Online: https://neotropical.birds.cornell.edu/Species-Account/nb/species/bratea1


Carboneras, C. & Kirwan, G.M. (2019). Brazilian Teal (Amazonetta brasiliensis). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. (retrieved from https://www.hbw.com/node/52857 on 2 October 2019).


Clements, J. F. (2012). The Clements Checklist of Birds of the World. Cornell: Cornell University Press.


Gwynne, J. A., Ridgely, R. S., Argel, M., & Tudor, G. (2010). Guia Aves do Brasil: Pantanal e Cerrado. São Paulo: Horizonte.


Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2018. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio. 4162 p.


Ramos, C. C. de O., Zawadzki, C. H., & Benedito, E. (2011). Dieta e conteúdo calórico de aves atropeladas na região central do estado do Paraná, Brasil. Biotemas, 24(4), 153-170.


Sazima, I., & D’Angelo, G. B. (2013). Range of animal food types recorded for the tegu lizard (Salvator merianae) at an urban park in South-eastern Brazil. Herpetology Notes, 6, 427-430.


Silva, J. M. C. da (1995). Birds of the cerrado region, South America. Steenstrupia, 21(1), 69-92.


Wikiaves. (2018). Pé-vermelho. Recuperado em 2 de outubro, 2019, de https://www.wikiaves.com.br/wiki/pe-vermelho

);