Elanoides forficatus (Linnaeus, 1758)

Nome(s) popular(es)

Gavião Tesoura.

História Natural

Ave rapinante relativamente comum, vive em regiões florestadas, geralmente habitando as bordas da mata, embora ocasionalmente possa ser visto planando por campos. Possui uma silhueta elegante, principalmente quando em voo, graças à sua cauda comprida e bifurcada em “v” e asas esguias, sendo facilmente reconhecível entre outros gaviões (família Accipitridae). No Cerrado pode ser encontrado principalmente nas matas de galeria, matas ciliares, matas secas, cerradões e veredas. É uma ave bastante sociável, vivendo em grupos de até 30 indivíduos. Ambas as populações, a da América do Norte e Central e a da América do Sul, migram para passar o inverno na Amazônia. Voa com bastante agilidade, se locomovendo pelas copas das árvores com destreza, onde costuma capturar suas presas. Sua alimentação é composta em boa parte por insetos, tanto larvas quanto adultos, muitas vezes pegos com as patas enquanto em voo. Também caça outras aves, lagartos, cobras, anfíbios, e em eventuais períodos de escassez pode até se alimentar de frutas, embora seja raro. Na época da reprodução, macho e fêmea realizam belos voos de cortejo para reforçar seus laços, visto que são monogâmicos e costumam se manter juntos ao longo da vida. O macho também oferece alimento à fêmea durante esse período. Fazem seus ninhos um tanto escondidos entre as folhagens na copa das árvores, usando gravetos e musgo, onde botam entre 2 e 3 ovos esbranquiçados. Ambos os pais ajudam a incubar e alimentar o filhotes, e são bem defensivos contra invasores próximos do ninho. Podem fazer ninhos em colônias, e outros machos do grupo, que não estão reproduzindo, podem eventualmente ajudar a coletar material para a construção do ninho de um casal, ou até mesmo a defender o ninho de ameaças. Seu principal predador é o Jacurutu, que pode caçar tanto os filhotes quanto os adultos. Outros potenciais predadores dos filhotes são o Gavião de Asa Larga, o Guaxinim e algumas cobras arborícolas.

Descrição

Mede entre 52 e 66 cm de comprimento. Possui a cauda longa e bifurcada, apresentando a forma de tesoura quando em voo, bem característica. As asas também são compridas e pontudas. Sua cabeça e região ventral são completamente brancas, inclusive embaixo das asas, onde a área interna contrasta com as penas externas, que são pretas. As costas, cauda e parte dorsal das asas são pretas, com um leve brilho metálico azul esverdeado, embora não seja visível quando voando. Seu bico possui a ponta negra e a base cinza azulado. Sua coloração e tamanho o tornam parecido com o Gavião Peneira, porém a cauda comprida ajuda a diferenciá-lo.

Distribuição

Possui ampla distribuição pelas Américas, ocorrendo desde o sudeste dos Estados Unidos até o norte da Argentina, incluindo a América Central e boa parte da América do Sul, com exceção do Chile e do Uruguai. No Brasil está presente em praticamente todo o território, sendo menos comum no Nordeste.

Conservação

Pouco preocupante: não é considerado ameaçado (ICMBio e IUCN), e suas populações podem estar aumentando (IUCN).

Referências

Azevedo, M. A., & Di-Bernardo, M. (2005). História natural e conservação do gavião-tesoura, Elanoides forficatus, na Ilha de Santa Catarina, sul do Brasil. Revista Brasileira de Ornitologia, 13, 81-88.

 

Bierregaard, R.O., Jr & Kirwan, G.M. (2020). Swallow-tailed Kite (Elanoides forficatus). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. (retrieved from https://www.hbw.com/node/52963 on 23 April 2020). 

 

BirdLife International. 2016. Elanoides forficatus. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22695017A93484824. https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2016-3.RLTS.T22695017A93484824.en. Downloaded on 23 April 2020.

 

Coulson, J. O., Coulson, T. D., DeFrancesch, S. A., & Sherry, T. W. (2008). Predators of the Swallow-tailed Kite in southern Louisiana and Mississippi. Journal of Raptor Research, 42(1), 1-12.

 

Gwynne, J. A., Ridgely, R. S., Argel, M., & Tudor, G. (2010). Guia Aves do Brasil: Pantanal e Cerrado. São Paulo: Horizonte.

 

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2018. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio. 4162 p.

 

Lemke, T. O. (1979). Fruit-Eating Behavior of Swallow-Tailed Kites (Elanoides forficatus) in Colombia. The Condor, 81(2), 207-208. 

 

Menq, W. (2018). Gavião-tesoura (Elanoides forficatus). Aves de Rapina Brasil. Recuperado em 23 de abril, 2020, de http://www.avesderapinabrasil.com/elanoides_forficatus.htm

 

Meyer, K. D. (2020). Swallow-tailed Kite (Elanoides forficatus), version 1.0. In Birds of the World (A. F. Poole and F. B. Gill, Editors). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. https://doi.org/10.2173/bow.swtkit.01

 

Sick, H. (1997). Ornitologıa brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

 

Silva, J. M. C. da (1995). Birds of the cerrado region, South America. Steenstrupia, 21(1), 69-92.

 

Tubelis, D. P. (2009). Veredas and their use by birds in the Cerrado, South America: a review. Biota Neotropica, 9(3), 363-374.


Wikiaves. (2018). Gavião-tesoura. Recuperado em 23 de abril, 2020, de https://www.wikiaves.com.br/wiki/gaviao-tesoura

);