Accipiter bicolor (Vieillot, 1817)

Vocalização

Nome(s) popular(es)

Gavião Bombachinha Grande, Gavião Bicolor, Gavião Caçador, Tauató Caçador.

História Natural

Gavião florestal incomum e de comportamento esquivo, é de difícil observação. Habita diversos tipos de formações florestais, desde matas mais densas até áreas com vegetação mais esparsa. No Cerrado pode ser visto em matas de galeria, matas ciliares, matas secas, cerradões e cerrados mais densos. Costuma ficar muito tempo empoleirado na copa da mata, raramente planando acima da floresta ou ficando em um galho exposto, porém ocasionalmente pode ser visto voando não muito alto indo de uma mata a outra, ou até caçando em áreas urbanas. Predador astuto, se alimenta principalmente de aves, tanto arbóreas quanto terrestres, porém pode ser um tanto oportunista. Costuma aguardar em um galho até que uma presa apareça para então investir. Caça pombas (família Columbidae), sabiás (família Turdidae), inhambus (família Tinamidae), saracuras (família Rallidae), chocas (família Thamnophilidae), e até araçaris (família Ramphastidae). Eventualmente também preda lagartos, morcegos, pequenos roedores e insetos. Pode seguir formigas de correição, interessado nas outras aves que também seguem as formigas para se aproveitar de suas presas. Já foi visto seguindo grupos de Macacos Prego para capturar os insetos espantados pelos primatas, além de também já ter sido registrado tentando atacar Macacos de Cheiro e Saguis. Faz seus ninhos com gravetos e ramos na copa das árvores, onde põe de 1 a 4 ovos. A fêmea incuba os ovos e os filhotes enquanto o macho traz alimento.

Descrição

Mede de 33 a 46 cm de comprimento, sendo que as fêmeas são maiores. Possui uma coloração cinzenta, com o topo da cabeça, costas e dorso das asas de um cinza mais escuro. O interior das asas e as coxa são castanho avermelhado, e alguns indivíduos podem ter a barriga levemente alaranjada também. A cauda é negra e possui quatro barras mais claras, embora a primeira costume ficar oculta. Seu olho, base do bico e patas são amarelos. A ausência de uma estria preta na garganta ajuda a diferenciá-lo do Gavião Bombachinha, que possui a estria.

Distribuição

Possui uma ampla distribuição pela América do Sul e Central, que se estende do México ao norte da Argentina, incluindo todos os países intermediários, e com uma mancha de ocorrência no extremo sudeste da América do Sul, no Chile e Argentina. No Brasil está presente em todo o território.

Conservação

Pouco preocupante: não é considerado ameaçado (ICMBio e IUCN).

Referências

Bierregaard, R. O., G. M. Kirwan, P. F. D. Boesman, and J. S. Marks (2020). Bicolored Hawk (Accipiter bicolor), version 1.0. In Birds of the World (J. del Hoyo, A. Elliott, J. Sargatal, D. A. Christie, and E. de Juana, Editors). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. https://doi.org/10.2173/bow.bichaw1.01

 

BirdLife International. 2016. Accipiter bicolor. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22695669A93521873. https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2016-3.RLTS.T22695669A93521873.en. Downloaded on 06 May 2020.

 

Clements, J. F. (2012). The Clements Checklist of Birds of the World. Cornell: Cornell University Press.

 

Gwynne, J. A., Ridgely, R. S., Argel, M., & Tudor, G. (2010). Guia Aves do Brasil: Pantanal e Cerrado. São Paulo: Horizonte.

 

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2018. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio. 4162 p.

 

Márquez, C., Gast, F., Vanegas, V., &  Bechard M. (2005). Aves Rapaces Diurnas de Colombia. Bogotá: Instituto de Investigación de Recursos Biológicos Alexander von Humboldt. 394p.

 

Menq, W. (2018). Gavião-bombachinha-grande (Accipiter bicolor). Aves de Rapina Brasil. Recuperado em 5 de maio, 2020, de http://www.avesderapinabrasil.com/accipiter_bicolor.htm

 

Sick, H. (1997). Ornitologıa brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

 

Silva, J. M. C. da (1995). Birds of the cerrado region, South America. Steenstrupia, 21(1), 69-92.

 

Thorstrom, R., & Quixchán, A. (2000). Breeding biology and nest site characteristics of the Bicolored Hawk in Guatemala. Wilson Bulletin, 112(2), 195-202.

 

Thorstrom, R. K. (2012). Bicolored Hawk. Pp. 93–103 in: Whitacre, D.F. (ed.) Neotropical Birds of Prey: Biology and Ecology of a Forest Raptor Community. Cornell University Press, Ithaca, New York.    

 

Trejo, A., Figueroa, R. A., &  Alvarado, S. (2006). Forest-specialist raptors of the temperate forests of southern South America: a review. Revista Brasileira de Ornitologia, 14(4), 317–330.


Wikiaves. (2018). Gavião-bombachinha-grande. Recuperado em 5 de maio, 2020, de https://www.wikiaves.com.br/wiki/gaviao-bombachinha-grande

);