Pilherodius pileatus (Boddaert, 1783)

Vocalização

Nome(s) popular(es)

Garça Real, Garça Morena, Garcinha, Garça de Cabeça Preta.

História Natural

Ave típica de ambientes aquáticos, é encontrada em corpos d’água  rodeados por mata preservada, como rios, lagos, pequenas lagoas, pântanos e mangues, estando associada à água lamacenta. Apesar de possuir uma ampla distribuição, costuma ocorrer de forma escassa, não sendo muito comum de se encontrar. No Cerrado pode ser vista em veredas, matas de galeria e matas ciliares. Normalmente vive solitária, porém pode ser vista em grupos de dois ou três indivíduos. Se alimenta de pequenos animais pelos lamaçais, na água rasa ou nas margens dos rios e lagoas, caminhando lentamente ou se mantendo parada à espera das presas, que incluem peixes, anfíbios e insetos aquáticos. Faz seus ninhos com gravetos sobre as árvores, porém a baixa altura, e põe cerca de dois ovos.

Descrição

Mede entre 51 e 61 cm de comprimento. Possui o bico e pele da face azul vivo, bem característico, com a ponta da mandíbula rosada. Pequena mancha amarelada na testa, topete preto bem destacado no topo da cabeça, penas amareladas finas e compridas na nuca. Garganta, laterais da cabeça, nuca, pescoço, peito e barriga amarelo claro pálido, com a barriga mais clara. Seu dorso e asas são branco acinzentado. Suas patas são cinzentas.

Distribuição

Possui ampla distribuição pela América do Sul, ocorrendo do Panamá ao nordeste da Argentina, incluindo Colômbia, Venezuela, Guianas e Suriname, leste do Equador e do Peru, Brasil, Bolívia e Paraguai. No Brasil está presente em quase todos os estados, sendo menos abundante no Nordeste e no Sul, estando ausente em PE, RN, SE e RS.

Conservação

Pouco preocupante: não é considerada ameaçada (ICMBio e IUCN).

Referências

BirdLife International 2016. Pilherodius pileatus. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22696987A93596994. http://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2016-3.RLTS.T22696987A93596994.en. Downloaded on 09 December 2019.


Buderman, F. E. (2010). Capped Heron (Pilherodius pileatus), version 1.0. In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. https://doi.org/10.2173/nb.capher1.01


Clements, J. F. (2012). The Clements Checklist of Birds of the World. Cornell: Cornell University Press.


Gwynne, J. A., Ridgely, R. S., Argel, M., & Tudor, G. (2010). Guia Aves do Brasil: Pantanal e Cerrado. São Paulo: Horizonte.


Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2018. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio. 4162 p.


Kushlan, J. A., Hancock, J. A., Pinowski, J., & Pinowska, B. (1982). Behavior of Whistling and Capped Herons in the seasonal savannas of Venezuela and Argentina. The Condor, 84(3), 255-260.


Martínez-Vilalta, A., Motis, A. & Kirwan, G.M. (2019). Capped Heron (Pilherodius pileatus). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. (retrieved from https://www.hbw.com/node/52673 on 9 December 2019).


Moreira, S. G., & Júnior, O. M. (2014). Fatores ambientais e atividades humanas associados à distribuição de aves aquáticas na área urbana de Uberlândia–MG. Cerrado Agrociências 5, 1-12.


Sick, H. (1997). Ornitologıa brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.


Silva, J. M. C. da (1995). Birds of the cerrado region, South America. Steenstrupia, 21(1), 69-92.


Wikiaves. (2019). Garça-real. Recuperado em 9 de dezembro, 2019, de https://www.wikiaves.com.br/wiki/garca-real


Willard, D. E. (1985). Comparative feeding ecology of twenty-two tropical piscivores. Ornithological Monographs, 788-797.

);