Egretta thula (Molina, 1782)

Vocalização

Nome(s) popular(es)

Garça Branca Pequena, Garcinha Branca, Garça Pequena, Garcinha.

História Natural

Ave associada a ambientes aquáticos de todos os tipos, é comum e bastante abundante, ocorrendo em rios, lagos, lagoas, brejos, mangues, estuários e no litoral. No Cerrado pode ser vista em campos alagados, veredas, matas de galeria e matas ciliares. Caça ativamente pelas margens ou na água rasa, capturando uma diversidade de animais, como peixes, moluscos, crustáceos, insetos, vermes, anfíbios e pequenos répteis. Vive em grupos e se reproduz em colônias, juntamente com outras aves aquáticas, fazendo seus ninhos com gravetos sobre árvores próximas à água. Põe de 3 a 7 ovos, de cor esverdeada ou azulada, e o casal os incuba e alimenta os filhotes juntos. Durante a época reprodutiva fazem demonstrações de acasalamento em que inflam os tufos de finas penas compridas na cabeça, peito e dorso.

Descrição

Mede entre 48 e 68 cm de comprimento. Sua coloração é toda branca. Possui o bico preto e a pele entre o bico e os olhos amarela. Suas pernas são pretas, com as patas amarelas. Pode ser confundida com a Garça Branca Grande, diferenciando-se dela pelo menor tamanho, bico preto e pata amarela, enquanto aquela possui o bico amarelo e a pata preta. Na época reprodutiva apresenta longas penas finas e brancas descendo pela nuca, peito e principalmente nas costas.

Distribuição

Possui uma ampla distribuição pelas Américas, ocorrendo desde os Estados Unidos ao sul da Argentina e do Chile, incluindo as ilhas caribenhas e a região a oeste dos Andes. No Brasil encontra-se em todos os estados.

Conservação

Pouco preocupante: não é considerada ameaçada (ICMBio e IUCN), e suas populações parecem estar aumentando (IUCN).

Referências

BirdLife International 2016. Egretta thula. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22696974A93595536. http://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2016-3.RLTS.T22696974A93595536.en. Downloaded on 10 December 2019.


Boyle, R. A., Dorn, N. J., & Cook, M. I. (2012). Nestling diet of three sympatrically nesting wading bird species in the Florida Everglades. Waterbirds, 35(1), 154-159.


Clements, J. F. (2012). The Clements Checklist of Birds of the World. Cornell: Cornell University Press.


Denis, D., & Jiménez, A. (2009). Nestling diet in five species of herons and egrets in Birama Swamp, Cuba. Journal of Caribbean Ornithology, 22(1), 26-31.


Gwynne, J. A., Ridgely, R. S., Argel, M., & Tudor, G. (2010). Guia Aves do Brasil: Pantanal e Cerrado. São Paulo: Horizonte.


Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2018. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio. 4162 p.


Martínez-Vilalta, A., Motis, A. & Kirwan, G.M. (2019). Snowy Egret (Egretta thula). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. (retrieved from https://www.hbw.com/node/52693 on 10 December 2019).


Moreno, A. B., et al. Seleção de profundidade da água durante o forrageamento e eficiência na captura de presas por Casmerodius albus e Egretta thula (Aves, Ardeidae) em uma lagoa urbana no Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Inheringia, Série Zoologia 95(1): 107-109, 2005.


Sick, H. (1997). Ornitologıa brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.


Silva, J. M. C. da (1995). Birds of the cerrado region, South America. Steenstrupia, 21(1), 69-92.


Snowy Egret (Egretta thula), In Neotropical Birds Online (T. S. Schulenberg, Editor). Cornell Lab of Ornithology, Ithaca, NY, USA. retrieved from Neotropical Birds Online: https://neotropical.birds.cornell.edu/Species-Account/nb/species/snoegr


Wikiaves. (2019). Garça-branca-pequena. Recuperado em 10 de dezembro, 2019, de https://www.wikiaves.com.br/wiki/garca-branca-pequena

);