Rhea americana (Linnaeus, 1758)

Nome(s) popular(es)

Ema.

História Natural

Habita formações campestres e savânicas, principalmente no Cerrado, Pampas e nos Chacos Bolivianos. Pode ser vista até em pastos e plantações. É incomum ou localmente comum. Onívora, se alimenta de uma grande variedade de itens: sementes, folhas, raízes, frutos, insetos (gafanhotos, besouros, etc.), moluscos, lagartos, roedores e outros pequenos animais, até mesmo peixes. Quando adultos, seus principais predadores são a Onça e o Puma, porém os filhotes também podem ser predados pelo Cachorro do Mato, Lobo Guará, Cachorro Vinagre, Cachorro Doméstico, algumas aves de rapina (famílias Acciptridae e Falconidae) e o Teiú. Reproduz entre julho e janeiro, dependendo da região, em ninhos feitos no chão e chocados pelo macho, que também cuida dos filhotes. Sua vocalização é extremamente grave (para ouvi-la é bom usar fones de ouvido ou aumentar o volume).

Descrição

É a maior ave da América do Sul, medindo de 1,27 a 1,40 m. Possui pescoço e pernas notoriamente longos. Incapaz de voar, é parente evolutiva de outras aves ratitas que também não voam, como o Avestruz, o Emu, o Kiwi e o Casuar, que juntas formam um dos grupos de aves mais antigos.

Distribuição

Encontrada do Brasil à Argentina. Está presente em praticamente todo Brasil com exceção da região amazônica. Encontrada também no Paraguai, Uruguai, leste da Bolívia e nordeste da Argentina.

Conservação

Pouco preocupante: é considerada não ameaçada no Brasil (ICMBio), e quase ameaçada globalmente, pois suas populações vêm diminuindo (IUCN), em parte por caça e em parte pela perda de habitat.

Referências

Azevedo, C. S. de, Tinoco, H. P., Ferraz, J. B., & Young, R. J. (2006). The fishing rhea: a new food item in the diet of wild greater rheas (Rhea americana, Rheidae, Aves). Revista Brasileira de Ornitologia, 14, 285-287.


BirdLife International 2016. Rhea americana. The IUCN Red List of Threatened Species 2016: e.T22678073A92754472. http://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2016-3.RLTS.T22678073A92754472.en. Downloaded on 11 September 2019.


Dani, S. (1993). A ema (Rhea americana): biologia, manejo e conservação. Belo Horizonte: Fundação Acangaú.


Folch, A., Jutglar, F., Garcia, E.F.J. & Boesman, P. (2019). Greater Rhea (Rhea americana). In: del Hoyo, J., Elliott, A., Sargatal, J., Christie, D.A. & de Juana, E. (eds.). Handbook of the Birds of the World Alive. Lynx Edicions, Barcelona. (retrieved from https://www.hbw.com/node/52399 on 11 September 2019).


Gwynne, J. A., Ridgely, R. S., Argel, M., & Tudor, G. (2010). Guia Aves do Brasil: Pantanal e Cerrado. São Paulo: Horizonte.


Hidasi, J., & Gomes, H. (2007) Ordem Rheiformes (Família Rheidae). Aves de Goiás. Ed da UCG, GO (pp 37-38).


Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. 2018. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Brasília: ICMBio. 4162 p.


Silva, J. M. C. da (1995). Birds of the cerrado region, South America. Steenstrupia, 21(1), 69-92.


Wikiaves. (2019). Ema. Recuperado em 11 de setembro, 2019, de https://www.wikiaves.com.br/wiki/ema

);