Rádio Educativa

Considerando o conceito de mediação como pesquisa e prática documentária, a equipe do Programa Educativa do Museu Nacional da República cria a Rádio Educativa, produzindo ações mediativas nas ondas sonoras. 

A escolha por conversas mediativas em formato de áudio se dá pelo caráter do Programa Educativa, pensado para atuação virtual em tempos de pandemia, priorizando a facilidade de circulação pelas redes sociais e por aparelhos celulares.

A forma popular como o termo rádio ocupa o imaginário social, e ocupa de diversas maneiras as memórias coletivas, marca o desejo do Programa de dialogar com os diversos públicos, rompendo inclusive barreiras geracionais. 

No artigo “A importância da oralidade: educação infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental”, Mirella Ribeiro e Edite Amorin, afirmam que:              

“A linguagem oral é um dos aspectos fundamentais de nossa vida, pois é por meio dela que nos socializamos, construímos conhecimentos, organizamos nossos pensamentos e experiências, ingressamos no mundo. Assim, ela amplia nossas possibilidades de inserção e de participação nas diversas práticas sociais.”

Encontramos também motivações para essa ação no webinário “As plantas como tema para a arte educação”, com o educador e artista Jorgge Menna Barreto, que trouxe percepções relacionadas ao monopólio do olhar. Jorgge aponta uma percepção de muitos aprendizados que vêm das plantas e que estão para além do discurso, da intelectualidade, da visão e da ótica. As plantas nos ensinam a explorar outros sentidos além da visão, como o plano digestivo. Elas nos convidam a apurar o tato e outros sentidos de temporalidade. 

Diversificar o nosso jeito de estar no mundo passa pela descoberta ou redescoberta dos sentidos que, por vezes, são soterrados pela visão, abrindo possibilidades de entendimento sobre o que acontece para além do que pode ser alcançado pelo olhar. 

Com esta ação mediativa desenvolvemos e compartilhamos episódios nas ondas sonoras das seguintes séries temáticas:

);