Paleontologia

You are here:

Há aproximadamente 60 milhões de anos teria chegado ao fim os famosos dinossauros, animais pré-históricos de grandes proporções cujos registros fósseis são de extrema importância para datar a ciência. No entanto, a história está mais perto de nós do que podemos imaginar.

No Cerrado brasileiro, até cerca de 15 mil anos atrás, viveram roedores, macacos e carnívoros primitivos de grande porte, como ursos, lobos, tigres, tatus e preguiças gigantes. A existência das espécies na região se deve à uma série de fatores geológicos.

DIVERSIDADE NA ILHA

Por conta das movimentações e fragmentações dos continentes, a América do Sul já foi uma ilha cuja variedade de espécies impressiona. Chamados de “primitivos moradores” os animais se originaram na região ou migraram da América do Norte, antes do continente ficar ilhado.

Isoladas até cerca de dois milhões de anos atrás, as espécies compunham uma fauna de mamíferos exclusiva, diferente de outras partes do mundo.

Após a extinção desses animais, cujos grupos possuem descendentes até hoje, a América do Sul passou por outra alteração geográfica.

O surgimento de ilhas ao norte, na região do mar do Caribe, acabou estabelecendo uma “ponte intercontinental” entre as Américas do Sul e do Norte, chamada de América Central. A nova formação geográfica serviu de passagem para a fauna, que foi se modificando com a chegada de espécies de outros continentes.

Adaptados, os animais que participaram do chamado “intercâmbio faunístico” desenvolveram características diferentes dos ancestrais. Algumas espécies adaptaram-se tão perfeitamente que desapareceram da América do Norte e, no Sul, sobreviveram. Outras retornaram pela ponte intercontinental à América do Norte, onde tinham sido extintas.

As descobertas da paleontologia são muito importantes para a história e para a ciência — Foto: Arte/TG

 

EXTINÇÃO DA MEGAFAUNA

A teoria do desaparecimento dos dinossauros defende que o choque de um enorme meteorito contra a Terra teria provocado modificações profundas no Planeta, eliminando as plantas que alimentavam os dinossauros herbívoros e impedindo também a sobrevivência dos carnívoros.

Com as mesmas proporções, a extinção da megafauna, porém, não foi provocada por causas naturais ou meteoritos. Há aproximadamente 12 mil anos os animais foram vítimas da diminuição brusca da temperatura em um período glacial. A instabilidade climática provocou variações ambientais no Cerrado brasileiro como a desertificação de planícies, diminuição de pastagens no bioma e aumento das áreas de floresta ao longo dos rios.

Os animais chamam atenção pelas grandes proporções — Foto: Ilustração: Ariel Milani Martine/Museu Joias da Natureza.

 

Tais mudanças influenciaram negativamente na sobrevivência e reprodução dos indivíduos, até então adaptados ao meio. Isso porque muitas espécies estavam altamente especializadas às características da região, principalmente quanto à alimentação. Ou seja, a diminuição de alimento durante longos períodos deixou os animais muito vulneráveis.

Com o decréscimo do número de indivíduos, a região sofreu com um desequilíbrio populacional, fator que acarretou no desaparecimento dos que não conseguiram se adaptar, como um tatu gigante, que chegou a medir dois metros e meio de comprimento; uma capivara, com o dobro do tamanho da espécie atual; ursos pequenos, do tamanho de ovelhas, e o famoso tigre-dente-de-sabre, com caninos superiores de até 30 centímetros.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/terra-da-gente/noticia/2018/09/08/cerrado-brasileiro-foi-casa-para-tigre-ursos-preguicas-e-tatus-gigantes.ghtml?utm_source=facebook&utm_medium=share-bar-desktop&utm_campaign=share-bar

Publicações:

  • Arqueologia na região centro-oeste do Brasil. Universidade Federal de Goiás, 2002.

https://arqueologiaeprehistoria.files.wordpress.com/2015/12/arqueologia-na-regic3a3o-centro-oeste-do-brasil1.pdf

  • Exposição Dinossauros do Brasil Central

A organização do livro “Exposição: Dinossauros do Brasil Central – Goiânia – Aparecida de Goiânia” apresenta inúmeros temas sobre estes incríveis répteis do passado geológico. O presente livro é fruto do conhecimento adquirido e compartilhado durante os anos de 2015 a 2017 por pesquisadores e colaboradores do Laboratório de Paleontologia e Evolução do Curso de Geologia da Universidade Federal de Goiás, o qual está sediado no mais novo Campus da UFG na cidade de Aparecida de  Goiânia.
O leitor pode encontrar neste livro temas desde conceitos, além de introduções paleoarte e extinções, entre outros conhecimentos acerca do mundo dos dinossauros, principalmente do Brasil Central. Esta produção tem por finalidade difundir os resultados de inúmeros jovens autores envolvidos e estimulados pelo prazer da produção acadêmica.
Os conteúdos do livro “Exposição: Dinossauros do Brasil Central – Goiânia – Aparecida de Goiânia” resultam do ponto de vista de vários autores, porém todos convergem para o ponto de vista acadêmico e divulgação – conceitual e informativo – onde os inúmeros temas apresentados são direcionados para a veiculação das investigações que, na sua grande maioria, advém do entusiasmo dos autores no interesse pelos dinossauros nas suas  diferentes  facetas.
Esperamos contribuir com os leitores e outros interessados por dinossauros com esta obra específica sobre este fascinante tema – os dinossauros do Brasil Central.
Boa leitura !!!
https://issuu.com/letracapital/docs/exposi____o_exposi____o_dinossauros

 

A Paleontologia NA SALA DE AULA Marina Bento Soares Organizadora

É com muita satisfação que apresentamos o livro digital A Paleontologia na Sala de Aula. O livro, que conta com apoio da Sociedade Brasileira de Paleontologia (SBP), foi financiado pelo CNPq através do Edital 032/2010 –  Fortalecimento da Paleontologia Nacional –, e tem como objetivo principal possibilitar um enriquecimento às disciplinas que tradicionalmente abordam  temas   relacionados à Paleontologia na Educação Básica, através do acesso facilitado a materiais instrucionais, compostos de textos e atividades didáticas.  

            A Paleontologia na Sala de Aula apresenta 22 capítulos sobre variados temas dentro da Paleontologia (contendo links para outros conteúdos na internet), e 62 atividades, entre elas, diversos jogos de tabuleiro. Participaram da elaboração do livro, 71 autores, paleontólogos vinculados a instituições de ensino e pesquisa, além de estudantes de graduação e pós-graduação, todos ativamente envolvidos com atividades de ensino e extensão.

Aqui, o livro é apresentado em dois formatos:

      1) para visualização on-line, dividido em três partes:  Apresentação e Sumário; Referencial Teórico; e Práticas em Sala de Aula. Neste formato, os links não estão funcionais.

      2) Livro completo para download, com  links funcionais  (marcados na cor laranja), em duas versões: mais pesada e mais leve. A versão mais pesada, com melhor resolução,  pode demorar um pouco para baixar.

    Ainda há uma aba no site denominada Atividades para Download, onde estão PDFs das atividades para impressão (tabuleiros, cartas, instruções aos alunos etc.). Baixando o Livro completo, também é possível fazer download dos PDFs clicando nos links do item MATERIAL de cada atividade.

      Esperamos que apreciem os conteúdos do Livro e que este venha este venha contribuir no aprimoramento e diversificação de nossas práticas em sala de aula.

Marina Bento Soares

Organizadora

Fonte: https://www.paleontologianasaladeaula.com/