Clique na imagem para vê-la melhor:

 

FAVEIRO-DE-WILSON: O DESAFIO DE PRESERVAR UMA ÁRVORE RARA E AMEAÇADA DE EXTINÇÃO

O faveiro-de wilson, cujo nome científico é Dimorphandra wilsonii Rizzini, da família das leguminosas (Fabaceae), é uma espécie ameaçada de extinção, categoria “Criticamente em Perigo de extinção”. Ela é endêmica da região central de Minas Gerais, na transição do Cerrado para a Mata Atlântica, ou seja, não existe em nenhum outro lugar do mundo. Por ser tão raro, o faveiro-de-wilson é protegido pelo Decreto Lei no 43904/2004 de Minas Gerais. 
O faveiro-de-wilson chegou próximo da extinção devido à destruição das matas da região, principalmente nos últimos 60 anos. Até agora foram encontradas pouco mais de 300 árvores na natureza, e a maioria delas está isolada no meio de pastagens, onde tem grande dificuldade de se reproduzir. As árvores do faveiro-de-wilson podem ser encontradas também em capoeiras e matas, tanto nas baixadas quanto nas encostas e topos de morro. 
Árvores desta espécie já foram encontradas em algumas propriedades nos municípios de Paraopeba, Caetanópolis, Sete Lagoas, Matozinhos, Jaboticatubas, Lagoa Santa, Esmeraldas, Florestal, Juatuba, Mateus Leme, São José da Varginha, Fortuna de Minas, Pequi, Maravilhas, Inhaúmas, Nova Serrana, Onça do Pitangui, prudente de Morais e Perdigão. Porém, podem existir mais árvores em outras fazendas e municípios da região.

Plano de Ação Nacional para a Conservação do faveiro-de-wilson. 

Link

Projeto Manejo e proteção do faveiro-de-wilson (Dimorphandra wilsonii)

Direção estratégica 4: Apoiar a proteção das espécies ameaçadas

Instituição: Sociedade de Amigos da Fundação ZooBotânica de Belo Horizonte

Responsáveis: Fernando Moreira Fernandes; vice-coordenador: Márcio Marques Queiroz
E-mail: fernand@pbh.gov.br, faveirodewilson@gmail.com
Telefones: +55 (31) 9 9927-9921 / (31) 3277-8323

Corredor: Outros corredores (Serra do Espinhaço)
Municípios: (MG) Paraopeba; Sete Lagoas; Matozinhos; Lagoa Santa; Inhaúmas; Esmeraldas; Fortuna de Minas; São José da Varginha; Perdigão; Pequi; Juatuba; Maravilhas; Mateus Leme; Para-de-Minas e Nova Serrana
Áreas protegidas: Parque Estadual do Sumidouro e APA Carste Lagoa Santa

Objetivo geral: Aumentar a proteção ao faveiro-de-wilson e ao seu habitat por meio da implementação de ações do seu Plano de Ação Nacional.

Objetivos específicos:

  • Revisar o instrumento legal estadual de proteção específica do faveiro-de-wilson.
  • Atuar como facilitador no processo de formalização do Cadastro Ambiental Rural-CAR.
  • Aumentar o grau de conscientização e participação das comunidades.
  • Atuar junto aos minhoqueiros (extratores de minhocuçu) para reduzir impactos de sua atividade sobre o habitat e os indivíduos do faveiro-de-wilson.
  • Promover evento para divulgar o conhecimento científico (realização de um SIMPÓSIO sobre a conservação do faveiro-de-wilson e seu habitat, com participação de pelos menos 60 pessoas).
  • Cultivar a espécie em viveiro.
  • Ampliar a reintrodução da espécie.
  • Melhorar o monitoramento das plantas remanescentes e reintroduzidas.
  • Propor criação e/ou ampliação de unidades de conservação nas áreas prioritárias da extensão de ocorrência da espécie.

Valor do apoio: R$ 64.615,30

Duração: 29 meses (Novembro/2017 a Abril/2020)

Manejo e proteção do faveiro-de-wilson (Dimorphandra wilsonii)

Imagens cedidas pela Sociedade de Amigos da Fundação ZooBotânica de Belo Horizonte

 

© F. Fernandes/SAFZBH

 

Área de atuação do projeto.